Violência Colonial em Frantz Fanon, James Baldwin e Spike Lee

  • Anderson Oliveira Lima
  • Rocio Castro Kustner UNEB-BRASIL
Palavras-chave: violência colonial, Frantz Fanon, James Baldwin, Spike Lee

Resumo

A temática deste artigo surgiu a partir da repercussão mundial que teve o assassinato do afro-americano George Floyd cometido por policiais brancos em Minneapolis (Estados Unidos), no contexto da pandemia do COVID-19 de 2020. O seu objetivo é analisar a violência colonial embutida nos conflitos étnicos-raciaisglobais à luz da teoria de Fanon (1968), na sua obra “Os Condenados da Terra”, dialogando com dois “artivistas” (ativistas e artistas) afro-americanos: o escritor James Baldwin no documentário “Eu não sou seu negro” (Peck, 2016) e o cineasta Spike Lee, com seu filme “Faça a Coisa Certa” (1988), realizado em memória de outros afro-americanos que acabaram como George Floyd. Também nos servimos do documentário “A 13Emenda” (DuVernay, 2016), para compreender a cruel realidade de que ainda existam leis nos Estados Unidos que abrem brechas para continuar estigmatizando e condenando o negro. O trabalho está ancorado numa análise bibliográfica, cinematográfica e documental, estabelecendo um diálogo entre os mencionados autores que, desde a psiquiatria, a literatura e o cinema, denunciam a violência colonial e convidam a refletir sobre caminhos para combatê-la.

Biografia Autor

Anderson Oliveira Lima

graduando no curso de Geografia do Departamento de Ciências Humanas do Campus V da Universidade Estadual da Bahia-UNEB

Referências

Bezerra, P. R. B. (2017). Desejo, identidade e espacialidade em James Baldwin. [Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Goiás]. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações. http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7376

Cabepr11. (2020, 31 de maio). Prof. Cornel West em CNN [subtitulado em español] [Vídeo]. No YouTube. https://youtu.be/GiPJ-GEmHWg

Carbone, V. L. (2020). Black livesmatter, violencia institucional y racismo estructuralenun Estados Unidos encrisis. In:Rodríguez, R. R., Canales, A. I., Fernández, D. C., Carbone, V. L., Nieto, J. Z., Martínez, J. H., Morgenfeld, L., Katz, C., & Martins, C. E. (Ed.),Estados Unidos: miradas críticas desde Nuestra América (pp. 20-29). CLACSO. https://val-carbone.medium.com/black-lives-matter-violencia-institucional-y-racismo-estructural-en-un-estados-unidos-en-crisis-681b7f72962e

DuVernay, A. (Diretora). (2016). A 13ª Emenda [Filme]. Netflix. https://www.netflix.com

Fanon, F. (1968). Os Condenados da Terra. Civilização Brasileira.

Faustino, D. M. (2018).Frantz Fanon: um revolucionário particularmente negro. Círculo Contínuo Editorial.

Geertz, C. (1989). A interpretação das culturas. LTC.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. (2020). Atlas da Violência.Ministério da Economia do Brasil. https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/arquivos/downloads/2010-atlas-da-violencia-2020.pdf

Lee, S. (Diretor). (1989). Faça a Coisa Certa [Filme]. Universal Studios.

Peck, R. (Diretor). (2016). I Am Not Your Negro [Eu Não Sou Seu Negro][Filme]. Magnolia Pictures.

Pérez, H. J. S. (2008). El cine de Spike Lee: análisis de laviolencia social enla película Do theRightThing. [Tese de Licenciatura em Comunicação, Facultad de Comunicación, Universidad de Piura]. Repositorio Institucional. https://pirhua.udep.edu.pe/handle/11042/1999?show=full

Publicado
2022-06-30
Como Citar
Oliveira Lima, A., & Kustner, R. (2022). Violência Colonial em Frantz Fanon, James Baldwin e Spike Lee. Interações: Sociedade E As Novas Modernidades, (42), 90-112. https://doi.org/10.31211/interacoes.n42.2022.a5
Edição
Secção
Artigos