O Jornalismo Ficcional da Franquia Transmedia de Harry Potter

  • Gabriela Gruszynski Sanseverino University of Toulouse III - Paul Sabatier
Palavras-chave: Harry Potter, Transmedia, Jornalismo, Jornalistas

Resumo

O jornalismo é parte intrínseca da franquia transmedia Harry Potter em suas múltiplas plataformas, pois as narrativas de ficção precisam de meios de comunicação próprios dos seus universos para explicar a sua lógica, suas práticas e suas instituições (Jenkins, 2009b). Este artigo busca olhar, a partir de números concretos, como este jornalismo se constrói dentro da narrativa de Rowling. Por meio da análise de conteúdo (Bardin, 2006), categorizamos as aparições do jornalismo nos sete livros, os oito filmes e a história interativa e a seção Daily Prophet do antigo site Pottermore. Através dos dados gerados por esta categorização, buscamos pensar o que estes números indicam quanto a integração do jornalismo na história de Harry Potter transmedia, assinalando a presença inerente da profissão e dos jornalistas no universo de Rowling. Entende-se que o jornalismo se estabelece como um elemento articulador da narrativa, que integra lógicas de composição e mimetiza parte dos processos da profissão. O jornalismo se torna uma forma de entrar na realidade do mundo mágico – a função mediadora da profissão é trazida para a ficção como uma forma de acesso ao universo transmedia de Harry Potter.

Publicado
2020-06-30
Como Citar
[1]
Gruszynski Sanseverino, G. 2020. O Jornalismo Ficcional da Franquia Transmedia de Harry Potter. Interações: Sociedade e as novas modernidades. 38 (Jun. 2020), 106-136. DOI:https://doi.org/10.31211/interacoes.n38.2020.a4.
Edição
Secção
Artigos