Da ‘Pobreza’ Voluntária à Hiper-Socializada?: Uma Interpretação Sociológica das Identidades Sociais de Mulheres ‘Pobres’, a Partir da Obra de Talcott Parsons

  • Fátima Toscano Instituto Superior Miguel Torga
Palavras-chave: mulher, pobreza, identidade social, teoria sociológica, Talcott Parsons

Resumo

A face feminina da pobreza, enquanto fenómeno social, é abordada neste artigo, a partir de uma leitura crítica da teoria sociológica de Talcott Pasons. A discussão da desqualificação social da mulher na pobreza é aqui parte de uma discussão mais alargada das identidades sociais, como uma realidade em permanente construção, desconstrução e reconstrução, explorando esta cadeia de transformação, em particular, a partir da relação entre a teoria da ação e a teoria do sistema, na sociologia de Parsons, uma relação que, em si própria, constitui um movimento de construção, desconstrução e reconstrução na transformação do pensamento parsoniano.

 

From Voluntary to Hyper-Socialized 'Poverty'?: A Sociological Interpretation of 'Poor' Women's Social Identities, After the Work of Talcott Parsons

The feminine face of poverty, as a social phenomenon, is approached in this article, from a critical reading of Talcott Parsons sociological theory. The discussion on the social disqualification of women in poverty is here part of a broader discussion of social identities as a reality in permanent construction, deconstruction and reconstruction, exploring this chain of transformation, in particular, from the relation between the action theory and the system theory in Parsons sociology, a relation that constitutes in itself a movement of construction, deconstruction and reconstruction in the transformation of the Parsonian thought.

Keywords: Woman, poverty, social identity, sociological theory, Talcott Parsons.

 

Publicado
2013-03-16
Como Citar
[1]
Toscano, F. 2013. Da ‘Pobreza’ Voluntária à Hiper-Socializada?: Uma Interpretação Sociológica das Identidades Sociais de Mulheres ‘Pobres’, a Partir da Obra de Talcott Parsons. Interações: Sociedade e as novas modernidades. 11, 21 (Mar. 2013).
Edição
Secção
Artigos