Vício e Liberdade: Raízes de uma Proibição Controlada

  • Filipe Nunes Vicente Instituto Superior Miguel Torga

Resumo

Os vícios privados e as virtudes morais não se excluíram mutuamente até finais do século XIX. No entanto, a modernidade, a industrialização, a democracia e as megapólis estimularam o crescente controlo dos comportamentos. Na Europa, contudo, artistas, escritores e políticos ainda usavam ópio, tabaco e haxixe numa demonstração que tais vícios eram tolerados em casos especiais. A colonização e o imperialismo levaram à vitória dos partidários do controlo sobre as drogas orientais. O novo homem ocidental – sem excepção – não poderia ser presa do ópio do Oriente.

Vice and Freedom: Roots of a Controlled Prohibition

Private vices and moral virtues did not exclude each other mutually until the end of the 19th century. However, modernity, industrialization, democracy and megapolises stimulated the growing control of behaviors. In Europe, nevertheless, artists, writers and politicians continued to use opium, tobacco, and hashish in a demonstration that such vices were tolerated in special cases. Colonization and imperialism led to the victory of the partisans of control of oriental drugs. The new occidental man – with no exception – should not fall prey to Orient’s opium.

Publicado
2006-10-31
Como Citar
[1]
Vicente, F. 2006. Vício e Liberdade: Raízes de uma Proibição Controlada. Interações: Sociedade e as novas modernidades. 6, 11 (Out. 2006).
Edição
Secção
Artigos