A Supervisão como Método de Pesquisa em Serviço Social: Um Projecto sobre Idosos e Doença Mental na Suécia

  • Ulla Melin Emilson

Resumo

Este artigo lida com diferentes perspectivas acerca da supervisão, designadamente, na formação de licenciatura e de pós-graduação, como um meio de apoio a profissionais que trabalham em instituições e, em particular, como um possível método de pesquisa. As ideias e as realizações de um projecto ou estudo de intervenção, actualmente levado a cabo na Suécia, funcionam como modelo e terreno para os procedimentos metodológicos e as propostas teóricas. Em termos empíricos, o objectivo do estudo é inquirir se a supervisão de grupo orientada para processos é um meio produtivo para treinar e apoiar os profissionais de instituições para idosos que sofrem de doença mental. A pesquisa anterior da autora, na Suécia, sugere que os profissionais estavam desapontados, no ambiente de trabalho, com a afirmação da sua identidade. Este inquérito pretende explorar se a auto-afirmação pode ser expandida e as necessidades específicas destes profissionais melhor avaliadas com a integração de diferentes estratégias no exercício da supervisão de grupo. Isto inclui recolher material empírico através de entrevistas e a reflexão participatória acerca da prática profissional quotidiana. A questão teoricamente importante aqui são as dimensões analíticas da supervisão, no contexto da discussão actual acerca da expansão epistemológica do campo do Serviço Social. O projecto está ainda em desenvolvimento. Se esta conjunção de direcções e metodologias diversas demonstrar ser uma nova praxis e modo de pensamento acerca do significado da supervisão, a supervisão pode funcionar, produtivamente, como um método qualitativo para o Serviço Social, em paralelo com as práticas metodológicas do trabalho de campo, observação participante e entrevistas.

Summary

This article deals with different perspectives on supervision in undergraduate and postgraduate education, as a means of support of the staff in human service institutions, and, in particular, as a possible research method. The ideas and accomplishments of a project or intervention study, which is currently being carried out in Sweden, function as a model and terrain for the methodological procedures and theoretical proposals. In empirical terms, the aim of the study is to inquire whether process-oriented group supervision is a productive way to train and support the employees in homes for elderly people with dementia. The author’s earlier research in Sweeden suggest that many caregivers were disappointed in their working millieu, by not having their own identity affirmed. The inquiry intends to explore if self-affirmation can be expanded and the specific necessities of this professional workers better assessed, by integrating different strategies into the exercise of group supervision. This includes collecting empirical material through interviews and the participatory reflection on day to day professional practice. The theoretically important question here is the analytical dimensions of supervision in the context of the current discussion on the epistemological expansion of the field of Social Service. The project is still in progress. If this conjunction of a variety of directions and methodologies come to mean a new praxis and mode of thought on the meaning of supervision, supervision could work, productively, as a qualitative method for Social Service in parallel with the methodological practices of fieldwork, participant observation and interviews.

Publicado
2001-10-27
Como Citar
Emilson, U. (2001). A Supervisão como Método de Pesquisa em Serviço Social: Um Projecto sobre Idosos e Doença Mental na Suécia. Interações: Sociedade E As Novas Modernidades, 1(1). Obtido de https://interacoes-ismt.com/index.php/revista/article/view/16
Edição
Secção
Artigos